quinta-feira, fevereiro 10, 2005


hk
Carol Zaine


stars_guitar
Carol Zaine

quarta-feira, fevereiro 02, 2005

Resgatando a Mãe-Natureza

Verruga na ponta do nariz, olhos esbugalhados, um caldeirão borbulhando com rabos de lagartixa e um gato negro miando ao seu lado. Esta é a imagem que o folclore criou da bruxa: uma mulher velha, feia e cheia de maldade.

Mas hoje um movimento de pessoas que cultuam a natureza, resgatando ritos e crenças dos povos da antiguidade vêm crescendo e se disseminando em diversos países do mundo. Estas pessoas se autodenominam neo-pagãos, e seu movimento é a chamada Religião da Bruxaria, ou Paganismo.

Vou explicar melhor: o Paganismo reúne todas as crenças populares de todos os países do mundo, lógico que adaptadas a realidade geográfica e natural de seu país de origem. No Brasil, nos últimos 20 anos, houve uma disseminação muito grande de cultos europeus, como o Druidismo (Grã-Bretanha), o Asatru (países nórdicos) e a Wicca, que é um "mix" de crenças dos antigos celtas (povo que habitava a Grã-Bretanha), maçons, ensinamentos orientais e outras vertentes do esoterismo.

O que estas pessoas, que praticam ritos e possuem crenças tão diferentes têm em comum? O amor pela natureza! Todas essas religiões, seja no Japão, no Brasil, na Irlanda ou no Caribe acreditam que a Terra é a nossa Mãe, e que devemos cultuá-la e protegê-la, como nossa criadora. Pregam que os animais, as plantas e todas as representações da criação da Mãe-Terra devem ser tratadas como nossos irmãos, e que devemos preservar o planeta, pois assim estaremos preservando o corpo de nossa criadora.

Portanto, a imagem da bruxa como conhecemos pelos desenhos da Disney está caindo em desuso. Devemos começar a enxergar as bruxas - e bruxos também! - como pessoas que creêm na harmonia entre os seres humanos e o planeta, e que tentam recobrar esta harmonia por meio de suas crenças religiosas.

Contribuição muito bem vinda!

Os catadores de papel e sucata são uma contribuição mais do que bem-vinda para a preservação do meio-ambiente. Eles não possuem uma vida fácil, afinal andam quilômetros por dia, ganham pouco e muitas vezes passam por apuros para conseguir material, mas o seu esforço vale a pena não somente para sustentar a família, mas também para aumentar o índice de reciclagem.

Graças à esses trabalhadores nosso país é o segundo do mundo no ranking de reciclagem de alumínio - sim, as latas de cerveja consumidas em massa durante o carnaval são parte desta estimativa.

Faça também a sua parte: em vez de colocar garrafas (de vidro ou de plástico), papelão, papéis e latas de todos os tipos misturados com o lixo orgânico, separe-as e além de tornar o trabalho duro de nossos amigos mais fácil, você estará contribuindo para o esvaziamento de nossos aterros.